Cidades

Mobilização contra Aedes põe 13,6 mil militares nas ruas do DF e Entorno


Administradores e secretários do GDF anunciam ações de combate ao mosquito Aedes aegypti (Foto: Pedro Ventura/Agência Brasília)



Operação comandada pelo Ministério da Defesa deve levar 13.650 militares do Distrito Federal e do Entorno às ruas para combater o mosquito Aedes aegypti neste sábado (13). Eles vão visitar casas em todas as regiões administrativas e em cinco cidades próximas ao DF para orientar a população sobre os riscos do mosquito, que transmite dengue, chikungunya e o vírus da zika.

"Teremos 1,3 mil soldados da Marinha, 10 mil soldados do Exército no DF e Entorno, 1.250 soldados da Aeronáutica, 1,1 mil homens e mulheres do Corpo de Bombeiros, mais agentes da Vigilância Ambiental e da Agefis. É um grande exército de pessoas contra o Aedes", declarou o secretário de Saúde do DF, Fábio Gondim.

No Entorno, as ações serão concentradas em Cristalina, Formosa, Luziânia, Santo Antônio do Descoberto, Valparaíso e Padre Bernardo, onde estão as maiores populações e os maiores índices de infestação do Aedes. As operações serão coordenadas pelo Comando Militar do Planalto, ligado à Defesa nacional. No DF, o governo promete ação simultânea em todas as regiões administrativas.

O comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Hamilton Santos, afirma que houve um esforço para colocar 1,1 mil militares da corporação em serviço nas manhãs de sábado. "O principal ator dessa ação é a população, mas temos registro de mais de 328 imóveis visitados pelo GDF para esclarecimento e limpeza de focos", disse.

Ação em etapas
A mobilização nacional proposta pela União foi dividida em quatro etapas. A primeira, em andamento desde o início do mês, se baseou na capacitação dos militares e agentes ambientais.

O dia 13 foi marcado como o "Dia do Esclarecimento", quando o foco será na orientação dos moradores e na entrega de panfletos explicativos. As ações de combate direto com larvicida e inseticida devem acontecer entre os dias 15 e 18 deste mês, nas mesmas regiões. No dia 29, a campanha terá foco educativo nas escolas do DF e do Entorno.

Apesar disso, o GDF garante que as equipes estarão equipadas, em todos os momentos, com produtos químicos e biológicos de combate para atacar possíveis focos. O morador que for abordado neste sábado, por exemplo, poderá solicitar a ajuda dos militares para aplicar esses produtos em ralos, pias ou vasos de plantas.

O dia 13 de fevereiro foi escolhido porque havia uma maior chance de os moradores estaram em casa. "Muitas casas ficam fechadas à visitação ao longo da semana porque os moradores estão no trabalho, e muitas famílias viajaram durante o Carnaval. Nesta data, queremos desarticular esses focos que ainda não foram atingidos", explicou o subsecretário de Vigilância à Saúde, Tiago Coelho.

As ações de mobilização serão apoiadas em todo o país pelas Forças Armadas, sob determinação da Defesa e da presidente Dilma Rousseff. O comandante Odir do Nascimento Junior, Capitão-de-Mar-e-Guerra da Marinha, o tenente-coronel do Comando Militar do Planalto Alexandre Peixoto dos Santos e o Chefe do Estado-Maior da Aeronáutica, coronel Claus Kilian Hardt, disseram que as corporações seguem em campanha, também, até o fim do mês.