quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Prospera entrega mais R$ 356,5 mil em cartas de crédito

Com o 11º lote de 2017, serão beneficiados 39 microempreendedores. A vendedora de roupas femininas Iraci Milomes dos Passos conta que vai investir o dinheiro em capital de giro.


SAMIRA PÁDUA, DA AGÊNCIA BRASÍLIA


Mais R$ 356,5 mil em microcrédito produtivo orientado foram liberados pelo governo de Brasília por meio do Prospera. O 11º lote de 2017 beneficiará 27 microempreendedores urbanos, no valor total de R$ 176.781,86, e 12 rurais, com R$ 179.753,99.

Com o 11º lote de 2017, serão beneficiados 39 microempreendedores. A vendedora de roupas femininas Iraci Milomes dos Passos conta que vai investir o dinheiro em capital de giro.
A entrega das cartas urbanas ocorreu na manhã de hoje, no Setor Comercial Sul, no auditório da Secretaria Adjunta do Trabalho, da pasta do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos.

Entre os contemplados estava Iraci Milomes dos Passos, de 66 anos, que mora em Samambaia e vende roupas femininas.

A microempreendedora contou que já recorreu mais de cinco vezes ao programa e que utilizará o recurso para capital de giro.

Questionada sobre os benefícios de pagar as parcelas dentro do prazo, ela destacou a possibilidade de pegar novas cartas de crédito e o aumento gradativo do valor liberado.

“É muito bom, porque estou sempre girando o negócio e pagando as coisas em dia”, disse. Graças ao dinheiro do Prospera, Iraci pode comprar à vista do fornecedor e vender a prazo para os clientes.

Com esse 11º lote, já são R$ 4,7 milhões repassados em contratos em 2017. De acordo com a Secretaria Adjunta do Trabalho, a meta é investir R$ 11 milhões neste ano.

Antes de as cartas serem entregues, a adimplência dos microempreendedores foi ressaltada pelo secretário do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos, Gutemberg Gomes.

“Só conseguimos ter montante de recursos para emprestar se houver, de fato, os pagamentos em dia”, frisou o titular da pasta. Os documentos de crédito foram entregues pelo secretário adjunto do Trabalho, Thiago Jarjour.

Como solicitar o Prospera

Todas as agênciasdo trabalhador podem auxiliar com informações, mas os pedidos de crédito do Prospera são feitos nas unidades do Plano Piloto (Setor Comercial Sul, Quadra 6, Lotes 10 e 11) e de Taguatinga (Avenida das Palmeiras, Quadra C4, Lote 3).

O funcionamento é de segunda a sexta-feira, das 8 horas ao meio-dia e das 14 às 18 horas.

No caso da área rural, os interessados devem procurar um dos postos da Emater-DF, que também atendem de segunda a sexta. O horário é diferente: das 8 horas ao meio-dia e das 13 às 17 horas.

O programa de microcrédito produtivo orientado da Secretaria do Trabalho é desenvolvido com o apoio do Banco de Brasília (BRB) e da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater-DF).

Duas cartilhas (uma para o público urbano e outra para o rural) auxiliam com mais informações sobre o benefício.

Pedidos de crédito do Prospera DF

Para a área urbana

Nas Agências do Trabalhador do Plano Piloto (SCS, Quadra 6, Lotes 10 e 11) e de Taguatinga (Avenida das Palmeiras, Quadra C4, Lote 3)
De segunda a sexta-feira
Das 8 horas ao meio-dia e das 14 às 18 horas


Para a área rural

Nas unidades da Emater-DF
De segunda a sexta-feira
Das 8 horas ao meio-dia e das 13 às 17 horas


EDIÇÃO: RAQUEL FLORES

Faltam 15 dias para a fiscalização do CRLV 2017

Faltam 15 dias para a fiscalização do CRLV 2017

Faltando 15 dias para a fiscalização do licenciamento 2017, somente 47% da frota de 1.696.379 está licenciada, ou seja 798.215 veículos.

Se comparado a 2016, quando foram licenciados 1.174.022 veículos, em tese, ainda faltariam pelo menos 375.807 veículos para serem regularizados. Isso dá uma média de 25.053 atendimentos por dia, nas próximas duas semanas, sem levar em conta o fim de semana, quando o Detran está fechado.

O Departamento alerta que quem for pego sem o licenciamento 2017 cometerá uma infração gravíssima, com multa de R$ 293,47, sete pontos na CNH e remoção do veículo, além de outras despesas com guincho, diária, vistoria e serviço de liberação, conforme o Código de Trânsito Brasileiro.

Somente este ano, 19.750 condutores foram autuados por falta de licenciamento e 10.656 veículos foram recolhidos aos depósitos do Detran pelo mesmo motivo.

Regularize seu veículo de casa

O usuário não precisa ir ao Detran para regularizar o seu veículo. Basta entrar no site e  imprimir os boletos de débitos, tais como, IPVA, DPVAT – seguro obrigatório, taxa de Licenciamento e multas pendentes. Após serem quitados e baixados no sistema, o documento do veículo será enviado, automaticamente, ao endereço registrado no Detran.

Aquele que não receber o documento deverá verificar no site do Órgão (www.detran.df.gov.br), no campo veículos, se existe alguma pendência. Se for constatado algum débito, o boleto poderá ser gerado por meio do próprio site. Também é importante verificar se o endereço residencial está atualizado.

Autorização para circulação


Neste ano, o Detran também lançou o Protocolo de Autorização Provisória para a Circulação de Veículo.  O documento é emitido por meio do site do Detran e tem validade de 30 dias, prazo máximo para que o usuário receba o licenciamento de 2017 em sua casa. A Autorização vale para circular somente no Distrito Federal.

Receita libera programa para declaração de Imposto de Propriedade Rural

Imposto de Renda de Propriedade Rural: Receita libera programa para declaração do bem

O programa para declaração do Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural (DITR) foi liberado na segunda-feira (14) pela Receita Federal. A declaração é referente ao exercício de 2017 e a estimativa é que 5,4 milhões de declarações sejam entregues até o dia 29 de setembro.

A Receita informou que, assim como na declaração de pessoa física, quem não entregar o formulário dentro do prazo estipulado pagará multa de 1% ao mês calendário ou fração sobre o imposto devido, não podendo seu valor ser inferior a R$ 50.


Quem deve declarar

Tem a obrigação de entregar a declaração pessoa física ou jurídica dona de uma propriedade rural; titular do domínio útil ou possuidora a qualquer título, inclusive a usufrutuária; um dos condôminos, quando o imóvel rural pertencer simultaneamente a mais de um contribuinte, em decorrência de contrato ou decisão judicial ou em função de doação recebida em comum; um dos compossuidores, quando mais de uma pessoa for possuidora do imóvel rural .

Quem perdeu a posse da propriedade rural também deve fazer a declaração, assim como quem fez imissão prévia do expropriante em processo de desapropriação por necessidade ou utilidade pública, ou por interesse social, inclusive para fins de reforma agrária; o direito de propriedade pela transferência ou incorporação do imóvel rural ao patrimônio do expropriante, em decorrência de desapropriação por necessidade ou utilidade pública, ou por interesse social, inclusive para fins de reforma agrária; ou a posse ou a propriedade do imóvel rural, em função de alienação ao Poder Público, inclusive às suas autarquias e fundações, ou às instituições de educação e de assistência social imunes de tributo.

Datas e valores

Até o dia 29 de setembro o contribuinte que se enquadrar em uma das situações acima mencionadas e que cai na faixa de pagamento da primaria quota ou quota única sem acréscimo de valor. Porém as demais cotas do imposto sobre propriedade rural há incidência de juros Selic, que serão agregados no valor a partir do mês de outubro até a data do pagamento do tributo.

Os valores podem ser parcelados em até quatro vezes, ou quotas, iguais.  O mínimo para pagamento é de R$ 10 (independente do valor calculado pelo programa) e quem deve pagar imposto no valor de R$ 100, esse montante deve ser pago à vista.



Fonte: Economia - iG @ http://economia.ig.com.br/2017-08-15/programa-receita-imposto.html

Previsão de salário mínimo para 2018 cai para R$ 969

Wellton Máximo e Mariana Branco – Repórteres da Agência Brasil

Notas de Real; dinheiro

A revisão das projeções econômicas para 2018 levou o governo a reduzir o salário mínimo para o próximo ano. O valor de R$ 979 que consta na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) passará para R$ 969 durante a elaboração do Orçamento.

A redução ocorreu por causa da queda na projeção de inflação pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) para 2017. No fim de julho, o governo tinha revisado a estimativa para a inflação oficial de 4,3% para 3,7%.

Por lei, até 2019, o salário mínimo será definido com base no crescimento da economia de dois anos antes mais a inflação pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), indicador próximo ao IPCA, do ano anterior. Como o PIB recuou 3,6% em 2016, a variação negativa não se refletirá no salário mínimo de 2018.

De acordo com o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, o valor do salário mínimo pode mudar até o início do próximo ano. Segundo ele, o Orçamento trabalha apenas com estimativas. “O salário mínimo só será conhecido em janeiro. Até lá, várias coisas podem mudar”, declarou.


Edição: Amanda Cieglinski