Educação



A educação financeira passa dos pais para os filhos

 Resultado de imagem para A educação financeira passa dos pais para os filhos



Você sabe qual o ponto de partida na educação financeira do seu filho? Olhe-se no espelho e terá a resposta. Afinal, os pais são a nossa maior referência, por mais que a rotina seja agitada, que exista uma relação de parceria com a escola e avós cada vez mais presentes na vida dos netos.

Considerando que as crianças aprendem pelo exemplo e que “imitam” seus pais o tempo todo, muita atenção na forma como você lida com seu dinheiro.

As primeiras lições de educação financeira começam muito cedo, fazendo parte do dia a dia: ao usar seu cartão para pagar uma compra, ao se dirigir ao caixa eletrônico, ao acessar sua conta via internet ou monitorar sua planilha de orçamento. Seu filho, “grudado” do seu lado, vai perguntando, observando, tirando suas próprias conclusões e… aprendendo com você.

Analise-se
Tudo pode parecer simples quando as crianças são pequenas e absorvem os ensinamentos dos pais. O problema mesmo começa quando passam a observar seu comportamento, comparando o que você ensina com o que faz na prática. Na adolescência, isso se intensifica.

Sendo assim, não perca tempo e avalie-se: como tem se comportado em relação às finanças? Tem exagerado na dose? Responda às seguintes perguntas:

    consegue conciliar bem vida profissional e pessoal, dedicando o merecido tempo a cada uma delas?
    tem respeitado a regra: SER é muito mais importante que TER?
    procura manter suas contas em dia?
    como se comporta na hora das compras: é consumista, adquire tudo por impulso?
    tem sido coerente em suas decisões?
    usa o crédito a seu favor ou tem se endividado mais do que deveria?

Quem é dono de quem?
Lembre-se: o dinheiro é apenas um meio para que você atinja seus objetivos. O segredo de um planejamento financeiro bem-sucedido está justamente no equilíbrio, sabendo usar bem os recursos. Aproveite e valorize o momento presente, poupando para o futuro. Nada de exagero: nem gastar demais, nem guardar demais.

Aprecie os momentos em família, observe seu comportamento e a forma como encara seu trabalho e o dinheiro que recebe. Seu filho está aí, do seu lado, observando você. Inspire-se, avalie-se e faça o seu melhor.

Fonte: Finanças Práticas